O homem sentado medita.

(Viajando pelo mundo, escrevendo a última nota, é onde quero estar.)

Compasso, direção e eletricidade são o portal de uma nova árvore. Um senhor está sentado no chão, meditando, não pretendo atrapalha-lo, mas vejo pinturas em suas mãos e sigo. Então ele me disse: "por favor, não seja um estranho para mim". Decido ficar e ele me estende as mãos, não me pede moeda, não me pede perdão. Agradece com as mãos pintadas, como se borrasse o chão onde senta, como se o quem me mostra é o mundo, enquanto escreve a última nota.