Mahay-ette ogh de Brighid.


"Senhora Brighid da chama tripla
Filha de Dagda
Guardião da fonte sagrada
cuja voz é a alma da harpa
Ensinai nossas mãos a curar
e nossos corações a cantar.

Confiamos o progresso da nossa vida aos seus cuidados
e pedimos que nos auxilie
na reflexão e transformando nossa energia
em sua brilhante chama
jóias perfeitas do tempo
som da harpa atemporal.

Em momentos de tristeza e momentos de celebração
agradecemos por seus dons
poesia e música
risos e lágrimas
bálsamo curativo da sua sabedoria.

Que seu repouso nas águas sagradas
que nos rodeiam desde nosso nascimento
a faça, senhora, navegar conosco ao nosso destino.

Nossos corações estão abertos
para receber sua bênção.
Parteira das Almas,
Chuva da Inspiração
Véu da Música
Rainha da Poesia.

Com o cheiro suave de flores.
Venha a nós como Mãe
e alimente-nos com seus frutos.
Ajuda-nos a ver o seu mistério em toda a criação
para que saibamos
com gratidão e reverência
saudá-la.

Ensina-nos a mudar
como as estações giratórias.
Ensina-nos a crescer
como o milho verde que nos alimenta.
Ensina-nos a forma da beleza
como o silêncio da floresta.
Ensina-nos a curar
como a banho calmante.

Nós a invocamos, senhora!"
(Livro dos Destinos dos Deuses - Tradição de 1920)