Rá! Posa!


A mudança e o que é mudar são óbvios. A questão é saber se tem estímulo próprio para contrapor os argumentos dos que intendem a mudança, mas priorizam a segurança.