A Árvore.


“Deves compreender, portanto, que esse é o primeiro caminho para a felicidade, concedendo às almas uma plenitude intelectual de união divina. Mas a dádiva sacerdotal e teúrgica de felicidade é chamada, realmente, de portal para o Demiurgo das  totalidades, ou a sede, ou o palácio, do bem. Em primeiro lugar, outrossim, possui  um poder de purificação da alma. . . posteriormente provoca uma coaptação do poder da razão com a participação e visão do bem e uma liberação de toda coisa de natureza oposta, e em último lugar produz uma união com os deuses, que são os doadores de todo bem” (Jâmblico)

Baixe o pdf aqui.