Paradigma do Fogo.


Aquilo que está ou é marginal não deixa de ser sagrado. Não é o profano que desestabiliza, mas a não certeza de que seu sagrado existe. A questão não são as dúvidas, mas a não vontade.