Magia in natura.


A estima que nos inspiram os homens pode ser medida pela qualidade de nossas confidências. Seja pelo receio da mágoa, seja pela rudeza dos sentimentos, seja por recear a confissão do que se pensa e espana o vício da amizade fundamentada somente em sentimentos elevados. O respeito e o despeito, ambos, juntos, aliam-se não como formação de caráter, mas como pausa de afins que sabem diferenciar as margens da relevância.