Elas existem, meu caro Shakespeare!