Animal Homosexuality and Natural Diversity.


• Em 1987, o biólogo americano W.J. Tennent publicou um artigo intitulado Nota sobre a Aparente Queda dos Padrões Morais da Lepidoptera. Após descrever o homossexualismo das borboletas do Marrocos, afirmou: “Talvez seja um sinal dos tempos o fato de a literatura entomológica estar no caminho da decadência moral e das ofensas sexuais”. O cientista achou imoralidade em borboletas.

• Machos de guepardo, um felino africano, adotam filhotes perdidos e órfãos e os criam. Fazem o papel de pais e mães.

• Tirando o homem, poucas espécies apresentam homofobia – que é a aversão ao homossexualismo. Mas alguns machos heterossexuais de veados-de-rabo-branco hostilizam e atacam os homossexuais.

• Já foram registrados casos de casais de gansas que viveram mais de quinze anos juntos. O casamento só terminou quando a morte as separou.

• Há zebras que morrem sem jamais ter copulado heterossexualmente. Optam pela conduta homossexual para sempre.

• O homossexualismo dos pinguins confundiu funcionários do Zoológico de Edimburgo, na Escócia, no começo do século. Pelas atitudes, as aves foram batizadas como Andrew, Bertha, Caroline, Eric e Dora. Depois, perceberam-se os erros: Andrew era Ann; Bertha, Bertrand; Caroline, Charles; e Eric, Érica. Só Dora tinha o nome certo.



A 1ª é o cortejo. Inclui todas as formas que os animais empregam para se exibir e conquistar parceiros.

A 2ª é a afeição. Inclui beijos, esfregações e carinhos de toda ordem. O biólogo foi rigoroso ao excluir formas de carinho que parecem manifestação de sexualidade, mas não são.

Em 3º vem a formação de casais. Talvez a categoria mais surpreendente de todas. Mais de 70 espécies de aves realizam casamentos duradouros de indivíduos do mesmo sexo. Essas uniões também são adotadas por 30 mamíferos.

Em 4º lugar vem a criação de filhotes. Nem sempre essa atividade envolve a dupla pai e mãe. O pássaro-cantor (Wilsonia citrina), nativo da América Central, é uma espécie na qual um macho atrai o outro por meio do canto, no início do período reprodutivo, e depois eles se juntam. Constroem, então, o ninho e cuidam dos ovos e das crias abandonados por outros indivíduos.

Em 5º lugar o contato sexual propriamente dito. Para ele, sexo é todo momento em que há estimulação dos órgãos genitais.