Nosso delírio.


É nosso delírio que liberta os pensares mais tímidos sobre tudo o que não queremos mostrar. Seja o que somos ou não, seja pela veia poética ou pelas aberrações divertidas, fazer histórias da nossas próprias mentes é como narrar estórias encantadas para nós mesmos. Isso não é fugir da realidade, mas manter-se lúcido.