De qual estrela falamos?


Que vale procurar no drama emoções fictícias? Sentir a a vida cotidiana como não se percebe? Já se tem bastante banalidade... O drama nos dá a volúpia da simpatia; refletir a dor, em vez de senti-la, ter-se singular quando o desabar e o lamento passam a ser firulas da incapacidade de reagir a si.Para experimentar a emoção simpática, um coração duro. Para ventilar-se no sentir, revigorar o ar que nos dá vida enquanto se respira a morte de cada momento.