Livro de cabeceira.

"Acontece-me, por vezes, em meio de uma meditação, esquecer repentinamente meu assunto, e parece-me, então, que acabo de sofrer uma perda que me entristece. Concluo disso que o pensamento é um contínuo deleite, tão sutil que se torna mais sensível pela ausência que pela ação." (Sully Prudhomme)